Pensando em levar seu SQL Server ON-PREMISES ou EC2 para RDS? Entenda as limitações

Pensando em levar seu SQL Server ON-PREMISES ou EC2 para RDS? Entenda as limitações

Tempo de leitura: 5 minutos

Fala galera, vamos para mais um artigo?

Estamos passando por grandes novidades para o mundo de Cloud no quesito de dados, o assunto persistido relata muito sobre bancos de dados auto gerenciáveis, cujo a expectativa é diminuir a administração por parte dos DBA’s e aumentar o foco no negócio.

Para a AWS, o Relational Database Service (RDS) no âmbito de SQL Server, trás expectativas como aliviar preocupações de aplicação de patchs, gerenciamento do servidor (host), provisionamento de recursos com o AutoScaling, multi-az e afins. Entretanto, não deixa de ser um modelo de responsabilidade compartilhada entre a AWS e o cliente.

Bom, vamos aos ponto que interessa. Possuo um servidor legado de banco de dados, SQL Server (On-Premises) ou até mesmo um EC2 Instances e estou pensando na possibilidade de levar para um RDS da AWS. Quais são os custos? Dificuldades? Limitações?

  1. A primeira dificuldade relacionada a este assunto é referente a licença no SQL Server. Caso possua licenças para seus SQL Server e deseja utilizar, não será possível. O serviço do RDS – SQL Server é oferecido como um catálogo de serviço PaaS, isso significa que é necessário pagar pela licença. Quando é feito migração do On-premises para um Dedicated Hosts, é possível reaproveitar a sua licença, entretanto, para o RDS, não.
  2. O backup no RDS é um tema importante que apresenta algumas limitações. Não é possível realizar o backup tradicional conhecido como BACKUP FULL, DIFF e LOG como no on-premises ou EC2. Na estrutura do RDS, só é possível realizar o backup FULL e DIFF e a dinâmica para realização desses backups envolve a integração do SQL Server com o Bucket S3. Não é possível direcionar os backups para um diretório avulso (caminho específico dentro do host), é necessário ter uma role configurada no IAM em conjunto com um option-group, essa ação irá permitir que o SQL Server leia e escreva no bucket especificado dentro da role.
  3. Existem algumas limitações relacionadas a permissões. Por exemplo, atualmente ainda não temos um acesso de Sysadmin no RDS como nos ambientes On-premises ou EC2. Há uma expectativa muito grande por parte da Amazon para essa implementação, porém nada confirmado ainda.

 

Limitações de permissões

4. É necessário realizar uma prospeção de crescimento de banco de dados. Ambientes que tem uma prospeção de crescimento acima de 16TB não podem ir para o RDS, é uma limitação de Storage.

5. Limitações de features. Atenção para esse item porque é impossível resolver através de um caminho alternativo. As limitações incluem: Resource Governor, FileStream, Log Shipping, Plano de manutenções, File tables entre outros. Para este item é necessário verificar se o seu ambiente não utiliza algum provento que é limitado no RDS.

Limitações de feature SQL Server com RDS

 

7. Também temos algumas limitações de usabilidade que usamos bastante no dia a dia, como por exemplo, utilizar recursos do perfmon do próprio Sistema Operacional ou realizar mais de 3 threads de backup/restore ao mesmo tempo e até mesmo em meu ponto de vista, limitações de boas práticas como segregação de arquivos de dados e logs em discos diferentes.

Sobre esse ponto, recentemente a AWS implementou uma feature de realizar a criação de um banco SQL Server com a opção de ter o acesso ao sistema operacional, porém sendo bem transparente, ainda não testei a feature. 

 

Nova feature do RDS com acesso ao Sistema Operacional

 

8. O monitoramento por parte de ferramentas terceiras como zabbix, solarwinds e nagios, ocorre através de DMVs do próprio SQL Server, já que a conexão com o host do banco de dados para instalar um agent de coleta é inviável.

9. A administração que exige algum acesso de syadmin, passa a ser através de procedures criptografadas da própria AWS.

Importante: Os pontos acima, não é para desmotivar o uso do RDS, e sim para alertar e evitar problemas específicos de limitações. Reitero que isso não quer dizer, que o serviço do RDS é ruim, muito pelo contrário!

Em um outro artigo, pretendo trazer os pontos positivos sobre o uso do SQL Server no RDS. A AWS trabalha constantemente para evoluir seus serviços e melhorar seus produtos.

Porém, quanto custa tudo isso? O custo de um RDS – SQL Server vai variar de acordo com a sua necessidade. A máquina escolhida, o tipo de disco, a versão do SQL Server e também arquitetura (Alta disponibilidade ou não).

Você consegue calcular por esses dois links:

Referencias:

https://docs.aws.amazon.com/AmazonRDS/latest/UserGuide/CHAP_SQLServer.html

https://docs.aws.amazon.com/AmazonRDS/latest/UserGuide/UsingWithRDS.MasterAccounts.html

https://sqlsailor.com/2021/12/08/amazon-rds-custom-for-sql-server-a-new-beginning/

 

Gostou? Compartilha e avalia. Dúvidas? Comente!

 

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz Vitor França Lima
3 meses atrás

Post TOP!!! Mandou bem mano! Aguardo o próximo post falando dos benefícios de usar a AWS.

Abraço,
Luiz Vitor