AWS: Serviço CLOUDENDURE para ambientes disaster e recovery – migrações

AWS: Serviço CLOUDENDURE para ambientes disaster e recovery – migrações

Tempo de leitura: 6 minutos

Fala pessoal, quanto tempo não é mesmo?

Hoje vamos falar sobre um serviço oferecido pela AWS extremamente útil para cenários de migração e criação de arquitetura de alta disponibilidade de Disaster Recovery.
Em diversos momentos na carreira de DBA, nos deparamos com a necessidade de criação de um plano de desastre e recuperação ou demandas de migração de ambientes.
Nesse post, daremos um foco maior no assunto de desastre e recuperação. O tema é muito importante quando falamos sobre ambientes produtivos e, quase sempre, envolve muita gente. Afinal, é o negócio do cliente que muitas vezes está em jogo.
Durante a carreira, observamos que parte dos planejamentos de desastres e recuperação envolve restauração de backups, o que nos dias de hoje, podemos considerar como sendo o método que irá salvar as nossas vidas. Mas será que podemos considerar apenas isso como um plano para recuperação de ambientes?

Em outros locais, existem arquiteturas mais elaboradas, como por exemplo, ambientes que funcionam em stand-in, log shipping, soluções de alta disponibilidade e por ai vai…. É um assunto bastante complexo, e pensando nisso, vou apresentar o serviço do cloudendure.

Atualmente diversos serviços oferecidos pela AWS, Azure, Google Cloud, Oracle, etc. Recentemente voltei a ter contato de forma mais profunda com o CloudEndure. Meus amigos? Que serviço espetacular.

Sem mais delongas, vamos entender a visão geral do serviço:

Console Cloudendure

Console CloudEndure

 

Como funciona? 

CloudEndure é uma empresa interna da própria AWS e pode ser usado para migrações de ambientes on-premisses para CLOUD ou como plano de desastre e recuperação.

Tipos de serviços

Serviços: Disaster Recovery e Migration

O serviço oferece a clonagem de uma máquina a nível de bit, ou seja, os discos, arquivos e configurações são todos migrados/clonados.

O serviço de replicação é feito através de um agent que o próprio cloudendure fornece. O agent é instalado no servidor origem e realiza a cópia do servidor para um destino selecionado.

O serviço oferece instruções e após a instalação do agent no servidor origem, ele será exibido na aba machines da console.

Configuração do Agent para origem

Demonstração:

  1. Você pode criar uma conta na console pelo link: https://console.cloudendure.com/
  2. Dentro da console é possível configurar vários parâmetros na aba replication settings, como por exemplo origem e destino.

3.  Trazendo para um cenário AWS, é possível deixar certos parâmetros já configurados como por exemplo: VPC, Security Group, etc.

Perceba na imagem abaixo que é possível selecionar o tipo de instancias que irá realizar a replicação e também a conversão em um possível recovery/failback. O CloudEndure usa máquinas de apoio para que tudo seja realizado sem impacto nos ambientes de origem ou produção.  Sendo assim, dependendo do tipo de instancia definida, o recovery/failback pode ser um processo mais rápido ou demorado.

 

 

No cenário acima, foram criadas duas instancias da família T.micro dentro da AWS:

Seleção de origem e destino CloudEndure

4. Com os servidores origem já sincronizados através dos agents, é possível montar “blueprints“, por exemplo: Na AWS, como será a máquina de recovery? Pode ser um servidor melhorado ou até mesmo um servidor mais tranquilo. Pode ser um servidor como um novo IP, com um novo security group, VPC e etc. É importante entender que o cloudendure cria máquinas para replicações e máquinas para recovery de fato.

Inserção de blueprint/configuração

5. Antes de qualquer procedimento, o cloudendure necessita sincronizar e replicar todas as machines configuradas.

Após toda sincronização e configuração como funciona o recovery? De modo bem simples, você seleciona a opção recovery e seleciona um point-time

Checkpoint-time para recovery

6. Após isso, um job será iniciado e sua máquina começará a ser criada no destino selecionado, tudo gerenciado pelo próprio cloudendure.

JOB de recuperação para possíveis recovery/failback

7. Após a finalização do JOB, sua máquina está disponível para uso correspondendo com o point-time definido e com as mesmas definições de origem. Simples e prático!

8. A nível de SQL Server, temos os seguintes resultados:

Fiz 3 inserts na maquina origem em uma tabela temporária, em determinados intervalos de tempo.

Inserts no SQL Server máquina de origem

 

 

Selecionei um recovery no check-point de 14:40m e o resultado na instancia criada foi:

SQL Server no checkpoint 14:40 após recovery

Conclusão

Particularmente, achei a ferramenta bastante acessível e simples de entender. Foge de um esforço tradicional imenso, trás produtividade, agilidade e me arrisco a dizer que até mais economia a longo prazo!

O Cloudendure também disponibiliza um curso de usabilidade gratuito na sua página oficial e também uma boa documentação.

Treinamentos:

  1. https://www.aws.training/Details/eLearning?id=50309
  2. https://www.aws.training/Details/eLearning?id=71732

Documentação oficial:

https://docs.cloudendure.com/

 

E ai, gostou?  Espero que sim. Qualquer dúvida comenta, que respondemos em breve.

 

5 4 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments